Governo do PA anuncia fechamento de divisa com AM para tentar frear Covid-19


Daniel Fernandes, da CNN, em São Paulo
13 de janeiro de 2021 às 20:23 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 14:44

 

Em uma ação inédita desde o início da pandemia do novo coronavírus, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), anunciou nesta quarta-feira (13) que proibirá a circulação de embarcações com passageiros entre o estado e o Amazonas.

De acordo com o governador, o decreto estadual será divulgado já nesta quinta-feira (14).

"Esta é uma medida preventiva e fundamental para que possamos evitar a ampliação do contágio dentro do estado do Pará e, consequentemente, os problemas em saúde em face à pandemia do coronavírus", disse Barbalho em vídeo divulgado no seu perfil do Twitter.

"A partir de amanhã, nossas fronteiras estarão fechadas para o estado do Amazonas com monitoramento da Polícia Militar do estado, com embarcações e aeronaves para que possamos fazer cumprir essa medida preventiva de restrição para proteger a nossa população", complementou o governador paraense.

Manaus terá prioridade na vacinação, segundo ministro

Em pronunciamento nesta quarta-feira (13), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que a campanha de vacinação contra a Covid-19 começará ainda neste mês e que a cidade de Manaus terá prioridade no processo.

"Vamos vacinar em janeiro e Manaus será também a primeira a ser vacinada. Ninguém receberá a vacina antes de Manaus", disse o ministro. "A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade também", afirmou Pazuello.

Após o pronunciamento de Pazuello, o ministério esclareceu que a vacinação em Manaus ocorrerá como em outros locais do país, de forma "simultânea e proporcional", segundo apurou a colunista da CNN Basília Rodrigues, e que não haverá diferença de data e nem de quantidade de doses em comparação com outras cidades. Haverá apenas diferença de horário, por causa do fuso.

O ministro da Saúde destacou que tem família na capital amazonense e reforçou que o estado não está enfrentando a pandemia de forma isolada do governo federal.

"Nós, em Manaus, temos que nos cuidar. Temos que seguir as orientações dos gestores. Não adianta lutar contra isso. A minha família está em Manaus, todos sabem disso. Minha filha está em Manaus. Então, quero deixar claro pra todos, que nós não estamos nem um pouco afastados de viver o problema de Manaus, estamos dentro do problema com vocês. Contem comigo e com o presidente da República", disse Pazuello.