Comissão anuncia temas que serão abordados no debate final entre Trump e Biden


Por Dan Merica e Kate Sullivan, da CNN
17 de outubro de 2020 às 05:30
O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante primeiro debate

O republicano Donald Trump e o democrata Joe Biden durante o primeiro debate presidencial nos EUA

Foto: Reprodução/CNN (29.set.2020)

A Comissão de Debates Presidenciais anunciou, na sexta-feira (16), os seis tópicos do segundo e último debate presidencial das eleições americanas, entre o atual presidente Donald Trump e o candidato democrata Joe Biden, programado para ocorrer na próxima quinta-feira (22).

A CNN Brasil e a CNN americana irão transmitir simultaneamente o evento.

Os tópicos erãoo: "Enfrentando a Covid-19", "Famílias americanas", "Raças nos Estados Unidos", "Mudanças Climáticas", "Segurança Nacional" e "Liderança".

O debate final entre Trump e Biden está agendado para 22 de outubro, das 22h (horário de Brasília) até 23h30. 

O formato é o mesmo do primeiro debate: cada segmento durará cerca de 15 minutos, e os candidatos terão dois minutos para responder após a moderadora, Kristen Welker, da NBC, fazer a pergunta inicial. Welker, então, buscará propiciar uma discussão mais aprofundada sobre o tópico de cada bloco.

Assista e leia também:
CNN Mundo: As últimas apostas de Biden e Trump para conquistar votos

Trump está na defensiva neste momento da campanha, diz pesquisador de Harvard

As sabatinas de Biden e Trump em 5 pontos principais

 

Caos no primeiro debate

No anúncio, a comissão não divulgou nenhuma mudança nas regras para o encontro final entre os presidenciáveis, algo que afirmou que faria após diversos momentos caóticos no primeiro debate, sobretudo com o presidente Donald Trump desrespeitando as regras e interrompendo repetidamente o ex-vice-presidente Joe Biden.

No dia seguinte ao primeiro debate, a comissão reconheceu que o evento teve problemas e disse que examinaria mudanças nas regras a fim de "garantir uma discussão mais ordeira".

"A Comissão de Debates Presidenciais patrocina debates na televisão para o benefício do eleitorado americano. O debate da noite passada deixou claro que uma estrutura adicional deve ser definida ao formato dos debates restantes para garantir uma discussão mais ordenada das questões", disse a comissão em uma declaração no dia 30 de setembro.

A comissão não especificou quais mudanças eram planejadas, mas a declaração na época dizia que pretendia "garantir que ferramentas adicionais para manter a ordem estivessem disponíveis para os debates restantes" e que essas seriam anunciados "em breve".

O caos do primeiro debate, marcado por frequentes conversas cruzadas incoerentes, foi amplamente criticado. Trump frequentemente interrompia e importunava Biden, ignorando os repetidos apelos do moderador, Chris Wallace, da Fox News, para que Trump cumprisse seu tempo concedido. Em certa altura, um Biden exasperado virou-se para o presidente e disse: "quer calar a boca, cara?"

 

Segundo debate cancelado

Trump e Biden deveriam debater pela segunda vez na última quinta-feira, mas o  debate foi cancelado após Trump se recusar a participar de um debate virtual. A comissão pretendia realizar o evento de forma remota após o presidente testar positivo para o novo coronavírus no início do mês, diagnóstico que o deixou hospitalizado por três dias.

Em vez disso, os dois candidatos participaram de sabatinas simultâneas na noite em que o debate foi originalmente agendado para ocorrer. Biden apareceu na ABC por uma hora e meia, enquanto Trump falou  por aproximadamente uma hora na NBC.

 

Assista e leia também:
Como funcionam as pesquisas eleitorais nos Estados Unidos

Eleições nos EUA: O que é voto facultativo e por que ele é adotado no país

Papel, correio e urna eletrônica: conheça os diferentes tipos de votação nos EUA

 

Biden pediu mudança de regra

O democrata Joe Biden deixou claro o desejo de que a comissão de debate mudasse as regras antes da terceira disputa, e disse que a maneira como Trump se comportou no primeiro debate foi um "constrangimento nacional".

"Só espero que haja uma maneira pela qual a comissão de debate possa controlar nossa capacidade de responder às perguntas sem interrupções", disse Biden a Arlette Saenz, da CNN, um dia após o primeiro debate.

"Não vou especular sobre o que acontece no segundo ou terceiro debate. Minha esperança é que eles possam literalmente dizer que a pergunta é feita a Trump. Ele tem um microfone, dois minutos...".

A campanha Trump se opôs a qualquer mudança nas regras. O diretor de comunicação da campanha, Tim Murtaugh, disse à CNN em um comunicado após o primeiro debate que a comissão "não deveria mover as traves e mudar as regras no meio do jogo".

"Eles só estão fazendo isso porque seu cara foi espancada na noite passada", disse Murtaugh. "O presidente Trump era a força dominante e agora Joe Biden está tentando influenciar os árbitros."