Contratação de Robinho na atual situação não faz sentido, diz Juca Kfouri


Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
17 de outubro de 2020 às 14:58

A contratação de Robinho pelo Santos, considerando a situação jurídica do jogador na Itália – onde ele foi condenado em primeira instância pelo estupro de uma mulher – não faz o menor sentido, afirmou, neste sábado (17), o jornalista esportivo e escritor Juca Kfouri.

"[O clube] poderia, no mínimo, ter esperado até dezembro para que houvesse o julgamento em segunda instância e, quem sabe, ele viesse a ser absolvido", afirmou Juca, em entrevista à CNN.

A volta de Robinho ao Santos foi anunciada pelo clube no sábado (10). Na noite de sexta-feira (17) o time e o jogador anunciaram a suspensão do contrato.

"Quero lembrar que ele está condenado em primeira instância, mas diferente da primeira instância brasileira. Não é apenas com sentença de um juiz, mas de um tribunal com participação popular," completou.

Assista e leia também:
Santos e Robinho suspendem contrato
Patrocinadores do Santos cobraram rescisão de Robinho após acusação de estupro

O jornalista afirmou ainda que interceptações telefônicas feita pela Justiça italiana e que vieram a público na sexta-feira, nas quais o jogador fala sobre o envolvimento no caso, deixam claro que "ele participou de alguma coisa da qual não deveria ter participado".

"Uma violência inominável e que não pode ser normalizada num país que já tem normalizado tantos absurdos", disse.

Juca afirmou ainda acreditar que, de alguma forma, a "tolerância com a intolerância das torcidas" se disseminou para outros setores da sociedade e contribuiu para o momento vivido no país.

"No futebol, em vez de olhar para seu adversário como tal, se passou a olhar como inimigo. O que é de uma extrema estultice (...) E acaba que essas violências são normalizadas", disse.

Robinho treina pelo Santos depois de ser anunciado como reforço do clube

Robinho treina pelo Santos depois de ser anunciado como reforço do clube no começo de outubro

Foto: Ivan Storti - 13.out.2020/Santos FC

O papel da redes sociais

Juca disse ser contra o uso das redes sociais como ferramentas de julgamento, condenação e, até, balizadores para a atuação dos meios de comunicação.

Por outro lado, ele destacou a importância das diversas manifestações neste caso, contra a contratação de Robinho, para aumentar a atenção da situação.

Leia também:
Acusado de agredir ex-namorada, Boateng será julgado em tribunal de Munique
Dudu troca o Palmeiras por clube do Catar após acusação de agressão da ex-mulher

"Neste caso específico, não fosse a grita da sociedade, não fosse o fato de os patrocinadores do Santos dizerem 'não quero minha imagem vinculada a essa questão', ele estrearia amanhã no jogo do Santos", opinou.

"É importante a gente estar vigilante e, sim, ser absolutamente intolerante com crimes contra mulher, com os crimes de gênero e com os crimes de raça."