Vendas de Cyberpunk 2077 decepcionam após jogadores exigirem reembolso

O game de história futurista com a presença do astro de Hollywood Keanu Reeves era considerado um dos maiores lançamentos da indústria de videogames deste ano

da Reuters
23 de dezembro de 2020 às 10:25
REUTERS/Kacper Pempel
REUTERS/Kacper Pempel
Foto: REUTERS/Kacper Pempel

A desenvolvedora polonesa de videogames CD Projekt afirmou nesta quarta-feira (23), que vendeu mais de 13 milhões de cópias de "Cyberpunk 2077" até 20 de dezembro, abaixo das expectativas de analistas e prejudicada por pedidos de reembolsos feitos por jogadores que se decepcionaram com a qualidade do título.

O game de história futurista com a presença do astro de Hollywood Keanu Reeves era considerado um dos maiores lançamentos da indústria de videogames deste ano, mas o título vem sendo criticado por apresentar uma série de falhas.

Leia também: 

Depois de Supremo, Tribunal Superior do Trabalho pede prioridade para vacina
IBGE: Com pandemia, desemprego alcança 14,2% em novembro e bate recorde

A CD Projekt não deu detalhes sobre previsão de vendas e não revelou quantos pedidos de reembolso já recebeu. As vendas ficaram abaixo das expectativas do mercado de 16,4 milhões de cópias, disse o analista Piotr Bogusz, da corretora mBank.

"Apesar deste número colocar Cyberpunk como um dos jogos mais vendidos deste ano, ele implica em vendas menores para PCs ou um número maior de pedidos de reembolso de jogadores de consoles do que antecipávamos no lançamento, provavelmente por causa de uma série de bugs e problemas de performance em PCs", disseram analistas da Jefferies.

Destaques do CNN Brasil Business:

Bruno Covas congela aumento do IPTU de SP em 2021
Governo envia SMS para pedir devolução de auxílio emergencial pago indevidamente

O game, lançado em 10 de dezembro, apresentou diversas falhas que obrigaram a Sony a retirá-lo da PlayStation Store e a Microsoft a oferecer reembolsos para quem o comprou.

 

                           Clique aqui para acessar a página do CNN Business no Facebook